quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Resumo Mensal - Julho 2016

A primeira semana de Julho seguiu o mesmo caminho que o mês de Junho. Na semana seguinte comecei com os treinos para o Triatlo de Cascais e por isso o número de actividades aumentou bastante. 

Entre natação, ciclismo e corrida acabam por ser poucos os dias da semana em que não faço nada, mesmo assim sinto que devia estar a fazer mais corrida. Talvez faça um bi-diário num dos dias para encaixar mais um treino de corrida no plano.

A única prova do mês de Julho foi logo no inicio com a Corrida do Sporting.

Calendário - Julho 2016



Número de Actividades até Julho 2016



Número de Quilómetros até Julho 2016



Tempo por desporto até Julho 2016




quarta-feira, 3 de agosto de 2016

33º Triatlo de Peniche (Sprint)

O passado 10 de Junho foi o dia da habitual deslocação anual a Peniche. Desta vez o motivo não foi a conhecida Corrida das Fogueiras, mas a trigésima terceira edição do Triatlo de Peniche, prova pioneira da modalidade em Portugal.

Saí com a família toda, um pouco antes de almoço, e chegados a Peniche fui para o Parque de Transição deixar o material, enquanto eles seguiam para o restaurante almoçar.



Foi neste momento que aprendi mais uma coisa nova sobre o Triatlo - para entrar no parque de transição, para além de ser necessário mostrar o dorsal, touca, bicicleta, e levar o capacete na cabeça, é preciso ter também vestido o equipamento que se vai usar na prova. Ora, eu que estava ainda de calças de ganga, tive de equipar-me na altura.

Segmento 1: Natação (14:45)

Mais uma vez, estava bastante nervoso antes da natação, principalmente devido aos cerca de 300 inscritos: parecia-me muita gente para ter à minha volta dentro de água!

Toca a buzina e é braços e pernas por todo o lado. O contacto era inevitável!



Apesar de estar a progredir bem em direcção à primeira bóia, não estava ainda a apreciar devidamente a prova pois continuava a sentir-me tenso. Pela cabeça passava um pouco de tudo, desde não conseguir respirar profundamente, sentir os ombros a doer e de como seria parar e levantar o braço para alguém me vir buscar. O normal no segmento de natação em quase todas as provas que fiz.

Claro que nem parei, nem pus o braço no ar, simplesmente continuei a nadar até chegar à confusão nas primeiras boias.



Ao virar na segunda bóia, nova preocupação. Não conseguia ver a bóia seguinte, por isso limitei-me a seguir quem ia à frente. Nesta altura comecei finalmente a apreciar a natação. Foi o momento, em toda a prova, em que me senti melhor

Ia com a sensação de estar a nadar rápido, de forma fluída e eficaz e estava realmente a gostar de estar ali. 

Foi assim que terminei o segmento com o garmin a marcar 827 metros feitos a um ritmo de 1:47 min/100m

Transição 1: Natação - Ciclismo (02:03)

Quando deixei a bicicleta no parque, apontei como ponto de referência que estava em frente à terceira coluna de som. Pormenor... Não me lembrei que quando fosse a prova iria estar imensa gente junto às barreiras impedindo-me de ver a tal coluna. 

Tinha uma ideia de onde estava a bicicleta, mas estava já a ver que ia ter de andar à procura dela. Valeu-me o meu pai que estava mesmo em frente ao meu local no PT a gritar que era ali :)

Mais uma vez, tonturas ao baixar-me para me calçar, e desta vez tive mesmo de me apoiar primeiro no chão e depois na bicicleta.




Segmento 2: Ciclismo (46:53

À saída do parque de transição começava-se logo a subir e ainda por cima em empedrado. O que vale é que eram só uns 500 metros. Serviu logo para aquecer as pernas! Terminada a subida entrava-se no circuito, que tínhamos de fazer por três vezes. 

Devia começar logo a impor um ritmo mais forte mas não me senti capaz. O vento de frente nesta zona do percurso dificultava a progressão e como mais uma vez não conseguia seguir na roda de ninguém, tive de lutar sozinho contra ele.

Ao entrar na marginal, que se faz na Corrida das Fogueiras, o vento passava a ser lateral e o percurso empinava novamente. Nesta altura eu só pensava "Vou ter de fazer isto mais duas vezes! Vou chegar de rastos à corrida".

conhecia esta parte do percurso, mas na versão correr e nocturna. Na versão a pedalar deu para perceber que o piso não é o melhor. Há uma zona de umas centenas de metros em que tudo na bicicleta vibrava e abanava, o que a juntar ao vento, dificultava a progressão.

A segunda metade do circuito de ciclismo era mais acessível, com muitas subidas e descidas, mas não parecia tão exposta ao vento, e as descidas permitiram-me descansar um pouco.

Ao longo das três voltas ao circuito, vi imensa gente a pé com a bicicleta pela mão, presumo que devido a furos.




Como seria de esperar, as três voltas ao circuito foram feitas em tempos cada vez maiores, perdendo cerca de 30 segundos por volta.

1ª Volta - 13:24
2ª Volta - 13:45
3ª Volta - 14:15

No final do ciclismo, o tempo nem foi assim tão mau. Fiz 21,73 Km a uma média de 27,9 Km/h o que, apesar da sensação de ir lento, não é um ritmo nada mau.


Transição 2: Ciclismo - Corrida (01:05)

Desta vez não tinha o meu pai a apontar para o meu lugar, por isso tive mesmo de ir atento para encontrar a placa que dizia "Individual".

Encontrei-a facilmente, troquei de sapatos, peguei no boné e no gel e saí rapidamente.


Segmento 3: Corrida (25:07)

A passagem pela claque, logo no início do segmento, ajudou a motivar para o que aí vinha e comecei a um bom ritmo, que fui conseguindo manter pelo menos até meio da corrida.




A meio da corrida senti-me a quebrar e tive de abrandar um pouco. No início do segmento tinha olhado para o relógio e vi que talvez fosse possível fazer menos de 1h30m de prova. Esta quebra punha esse tempo em causa, mas com o cansaço que tinha, o pensamento foi "que se lixe o tempo, deixa é gerir o que falta para não quebrar mais".

Até que comecei a sentir-me melhor e novamente com a possibilidade de conseguir terminar em 1h 30m. Nos últimos 500 metros de prova devo ter passado tanto tempo a olhar para a frente, como para o relógio. Os segundos iam passando e eu a tentar sprintar cada vez mais rápido. 




Foi à custa deste sprint louco que cortei a meta com um tempo final de 1h 29m 54s. Segundo o garmin acabei a uma velocidade de 03:25 min/km...

A Minha Prova:


Este foi o meu primeiro triatlo em distância Sprint e por isso não tenho grande termo de comparação a nível de resultado. Acho que foi um bom resultado e fiquei bastante contente por ficar abaixo da hora e meia.

Se puder será certamente uma prova a repetir para o próximo ano.

Classificações:
Fotos:

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Resumo Mensal - Junho 2016

O blog tem andado demasiado parado mas não significa que eu também o esteja, pelo menos agora. O mês de junho foi mais calmo a nível de treinos e tirando meia dúzia deles e o Triatlo de Peniche passei grande parte do mês em modo preguiçoso.

Calendário - Junho 2016




Número de Actividades até Junho 2016




Número de Quilómetros até Junho 2016



Tempo por desporto até Junho 2016




quinta-feira, 9 de junho de 2016

Resumo Mensal - Maio 2016

No mês de Maio voltei a fazer uma prova de corrida. Não foi uma típica prova de 10 Km mas sim uma de 3000 metros na pista do Restelo.

Maio foi também o mês em que tive dois triatlos. O primeiro no inicio do mês foi o Lisbon Triathlon e foi nele que fiz a minha prova mais longa. No final do mês foi o Campeonato da Europa de Triatlo e participei na prova aberta no formato Super-Sprint.

No meio destas provas todas houve tempo ainda para treinos. A corrida e natação aumentaram tanto em quantidade como em qualidade. No ciclismo devido às provas ao fim de semana houve uma redução no número de quilómetros e acabei por fazer apenas um treino.

O reforço muscular continuou desaparecido durante o mês de Maio.

Calendário -
Maio 2016

Número de Actividades até
Maio 2016


Número de Quilómetros até
Maio 2016


Tempo por Desporto até Maio 2016